segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Fragmentos Filosóficos, Delirantes*


"(...) é indispensável perdermos o hábito de só ouvir o que já compreendemos"

"Estamos sempre no perigo de sobrecarregar um poema com excesso de pensamento e assim impedir que o poético nos toque"

"A essência da linguagem dá notícia de si mesma como indício, como a linguagem de sua essência"

"Tanto a poesia como o pensamento movimentam-se no elemento do dizer"

"(...) uma coisa, chamada palavra, confere ser a uma outra coisa"

"Falamos da linguagem dando sempre a impressão de estarmos falando sobre a linguagem quando, na verdade, é a partir da linguagem que falamos. Pois é na linguagem que a linguagem, sua essência seu vigor se deixam dizer"

"A linguagem foi chamada de a "casa do ser". Ela abriga o que é vigente à medida que o brilho do seu aparecer se mantém confiado ao mostrar apropriante do dizer. Casa do ser é a linguagem porque, como saga do dizer, ela é o modo do acontecimento apropriador"

"O que, portanto, deve manter-se impronunciado resguarda-se no não-dito, abriga-se no velado como o que não se deixa mostrar, é mistério"

*Martin Heidegger in "A caminho da linguagem". Ed. Vozes. Petrópolis/RJ. 2004.

Nenhum comentário:

Postar um comentário